sexta-feira, 15 de maio de 2009

Sínteses de um tempo

Que imagem resumiria a glória selvagem da Antiguidade romana? Qual o ícone de nossa civilização? Há descrições de cenas que parecem concentrar toda uma época num par de frases. Se me fosse dado o luxo de escolher, há duas que têm a força de reter a identidade (que, como se sabe, é contradição) de seu tempo:

Século XX
“A preservação de um arvoredo amado por Goethe dentro de um campo de concentração”
(George Steiner, Gramáticas da Criação, Globo, 2003: 13).

Império Romano
“Os romanos antigos construíram suas obras-primas de arquitetura, os anfiteatros, para animais selvagens se estraçalharem”
(Voltaire, citado por Daniel J. Boorstin em Os Criadores, Civilização Brasileira, 1995: 143)

E outras épocas, que ícones (verbais) teriam?

Um comentário:

  1. alex sander alcântara20 de maio de 2009 07:44

    Caro Luiz,
    numa época em que a história passou a registrar na memória coletiva aquilo que se passa em termos de imagens, principalmente, na televisão, em que nada em termos de memória acontece sem que a representação aconteça na tv, acho que o 11 de setembro seria, na minha opinião, uma síntese do século XXI: as contradição entre a criação e destruição.

    parábens pelas excelentes postagens!
    alex sander

    ResponderExcluir